Há clubes em Aveiro a disponibilizar transporte para a vacinação contra a Covid-19

Um ano passou desde que foi confirmado o primeiro caso de Covid-19 em solo português. Desde então, muito mudou no nosso quotidiano, desde a utilização generalizada de máscaras aos confinamentos como aquele que vivemos atualmente. A luz ao fundo do túnel começou a surgir no final do ano passado, com a aprovação das primeiras vacinas que previnem a doença causada pelo novo coronavírus, decisão que originou uma campanha de vacinação massiva, em Portugal como em várias partes do mundo. Pelo distrito de Aveiro, inoculam-se idosos e pessoas com mais de 50 anos com patologias associadas, e há clubes dispostos a ceder as suas viaturas para as transportar até aos locais de vacinação.

Desde que, em fevereiro de 2019, o FC Macieirense apresentou o seu novo autocarro, a intenção dos seus responsáveis foi a de colocá-lo ao dispor da freguesia local, Macieira de Sarnes, no concelho de Oliveira de Azeméis. “Não somos só futebol. O cariz social é um ponto ao qual nos associamos com alguma facilidade porque nos revemos na ajuda ao próximo”, explica o presidente do clube, Filipe Marques, que disponibilizou a viatura para transportar pessoas para serem vacinadas contra a Covida-19. “É mais um meio de combate à pandemia que nos tem afetado bastante a todos”, atira.

Desta forma, o dirigente pretende “fazer ver aos sócios e a toda a comunidade que os clubes podem ter um papel importante” num momento tão complicado quanto o que vivemos. Foi com isso em mente que, na freguesia da Branca, concelho de Albergaria-a-Velha, Branca Activa SC e GDR Soutelo também se disponibilizaram a transportar, de forma gratuita, pessoas com mobilidade reduzida até os locais de vacinação.

“Foi um pedido feito pelo presidente da Junta. Para além de formar jovens, colaboramos com a comunidade. É um dever”, aponta Manuel Silva, presidente do GDR Soutelo. Para si, “clubes e dirigentes devem estar disponíveis para colaborarem e associarem-se à população”, razão pela qual, no início da pandemia, o clube que dirige já havia cedido, “de forma gratuita, máscaras e luvas aos bombeiros, à GNR e a duas associações locais”.

Por sua vez, o Branca Activa SC lembra, em nota publicada nas redes sociais, que, “numa altura tão difícil e longa de ter um fim, toda a ajuda é importante e valiosa”. O clube ressalva que “a vacinação à doença é uma réstia de esperança”, ideia com a qual concorda o presidente do vizinho GDR Soutelo. “A coisa está mais controlada agora. Quem continua a sentir mais isto é o comércio, os clubes e os jovens, porque não praticam desporto, mas temos de ir com calma para não voltarmos ao que aconteceu em janeiro”, defende Manuel Silva.

Para lá de toda a esperança depositada na eficácia das vacinas no combate à pandemia de Covid-19, é fundamental que sejam mantidos todos os cuidados para tentar impedir a propagação do vírus. De há um ano para cá, o FC Macieirense tem procurado “passar a informação correta aos atletas, nomeadamente as regras de higiene, as mesmas que foram implementadas no clube para poderem servir de exemplo no dia a dia”, explica o presidente, Filipe Marques. Porque nunca será de mais relembrá-las, de facto.

Fotografia
Futebol Clube Macieirense

7 de Março de 2021
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas