CRAC não se assume como candidato mas ambiciona lutar pela subida

O Centro Recreativo e Acção Cultural (CRAC) assume como principal objetivo para a nova época a subida de divisão, mas Luís Santos, que abraça um novo desafio depois de passagem pelo Santo André, admite que a concorrência será feroz. Contudo, acredita no valor de um plantel que conta com a chegada de 12 jogadores provenientes do seu antigo clube.

“Formámos um plantel para lutar pelos lugares cimeiros, que será capaz de fazer frente a qualquer equipa. Apesar disso, não nos assumimos como candidatos, porque também aguardamos pela composição das séries. Há equipas como a LAAC, que se destacou nos reforços, ou o Calvão, que tem uma parceria com o Beira-Mar, que vão com certeza criar bastantes dificuldades e são candidatos assumidos”, refere o treinador.

Luís Santos considera que a sua equipa pretende ter uma atitude que lhe permita “entrar em todos os campos para vencer”, mas também quer desenvolver um futebol atrativo. “O nosso plantel é equilibrado e tem uma base do Santo André, onde trabalhei na época passada. Conheço os jogadores, são reforços de valor, e sei que estão dispostos a trabalhar para termos uma equipa a praticar bom futebol. O nosso objetivo também é associar essa componente aos bons resultados”, sublinha.

No plantel para a temporada 2018/2019, o CRAC conta com a chegada de Vaia, Uvias, Miguel, Dani, Rui, Simões, Mero, Neto, Luís, Ribeiro, Diogo e Marcelo, todos provenientes do Santo André. A estes juntam-se Santos (ex-júnior do Alba), Bruno Cardoso (ex-Vista Alegre), Cláudio Bianco (ex-S. Romão) e Rafa. O clube renovou também com Tides, Nélson, Riadh, Galante, Cláudio Coral e Pierre.

Fotografia
Direitos Reservados

7 de Setembro de 2018
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas