Em Portugal, ninguém está há mais tempo sem sofrer golos do que o Válega

A 27 de outubro de 2019, os relógios portugueses atrasaram uma hora, mas houve quem não se atrapalhasse muito com isso. É que, no novo fuso horário, o CCR Válega não sabe o que é sofrer um golo. A equipa do concelho de Ovar, que milita na zona norte da 2.ª Divisão Distrital de Aveiro, mantém a sua baliza inviolável há nove jogos consecutivos, sendo o emblema português com o melhor registo de todos os campeonatos seniores do país.

Apesar da mudança de horário e o tempo civil não refletir o tempo solar, a verdade é que o planeta Terra já completou 82 rotações sobre si mesmo, precisamente o número de dias que o Válega regista sem sofrer qualquer golo no Campeonato Distrital da 2.ª Divisão. A última vez que isso aconteceu foi na derrota, em casa, com o Mosteirô FC, por 3-1, na 5.ª jornada da zona norte. Nessa partida, Flávio Oliveira e Nélson Amaral, que bisou, foram os últimos jogadores a introduzir a bola na baliza da equipa de Ovar.

O comandante que promove a órbita da equipa em torno da estratégia que tem trancado a baliza a sete chaves é Paulo Gomes, técnico que recorda a antevisão da época, quando lançou o desafio para que a postura defensiva estivesse perto da perfeição. “Desde o início que sabíamos que era importante sermos organizados defensivamente. Foi isso que eu disse à AFA TV, em julho. Se o resultado estiver 0-0, estaremos sempre mais perto de ganhar”, lembra o treinador. 

O segredo envolve “o trabalho semanal e a organização defensiva de todos os jogadores que estão em campo", não só os que compõem a linha defensiva, "mas de todos os outros, até daqueles que não estão em campo e que, durante a semana, ajudam a trabalhar a equipa a ter um bom comportamento defensivo no fim de semana”.

O técnico, de 38 anos, natural de Ovar, mostra-se orgulhoso pelo feito da equipa, que atinge uma dimensão nacional, mas ressalva que o Válega “não leva o autocarro para dentro do campo”. “Apesar desta série sem golos sofridos, a nossa estratégia não passa por jogarmos à defesa. A equipa tem é percebido todos os momentos dos jogos. Tanto há jogos em que estamos com posse de bola no meio campo adversário, como noutros temos de baixar linhas e defender num bloco médio/baixo para protegermos os espaços fulcrais”, explica.

A equipa tem demonstrado mais do que uma fórmula eficaz para não sofrer golos há nove jornadas, já que o treinador já utilizou os três guarda-redes que tem à sua disposição, Rui Fragoso, Artur Pinto e Nuno Dias. “Além das mudanças na baliza, também alterámos várias vezes os elementos da linha defensiva. Temos um plantel equilibrado, que trabalha muito bem, e temos de ir escolhendo os jogadores pelo rendimento demonstrado e pelo trabalho nos treinos”, afirma.

Paulo Gomes assume que a equipa quer manter a baliza inviolável, mas alerta que “o plantel não está a pensar em qualquer recorde, mas sim em estar nos lugares cimeiros. “Tem-se falado no balneário sobre o assunto, mas numa lógica de jogo a jogo. O nosso lema passa por não sofrermos golos, mas apenas para estarmos mais perto de ganhar, porque espreitamos um lugar melhor na tabela, embora seja precoce pensar nisso. O que não queremos é deixar de estar perto das decisões”, refere o técnico, ele que iniciou a carreira como treinador adjunto no Rio Meão, em 2009, tendo cumprido esse papel igualmente no Romariz e no Riachense, e sido observador dos juniores da Oliveirense. Como treinador principal, estreou-se no Furadouro, antes de chegar ao Válega.

Terceira melhor série sem sofrer golos também mora em Aveiro
No ranking das equipas que mantêm séries sem sofrer golos nos respetivos campeonatos, o GD Velense, líder do campeonato da ilha de São Jorge, da AF Angra do Heroísmo, surge na segunda posição, com seis jogos. O pódio fica completo com outra equipa de Aveiro, a Florgade FC, que vai numa série de cinco jogos sem qualquer golo sofrido.

O Brito SC, da AF Braga, regista quatro jogos com a baliza inviolada no Campeonato Pro-Nacional, ocupando o quarto lugar da lista, ex-áqueo com o ADR Tarouquense, da 1.ª Divisão da AF Viseu, e o Leça FC, da Série B do Campeonato de Portugal.

Fora da corrida, mas detentor de um registo assinalável, está o Benfica, que perfez cinco jogos consecutivos sem golos sofridos na Liga NOS, em igualdade com outra equipa aveirense, o Beira-Mar, e o Paredes, que conseguiram números idênticos no Campeonato de Portugal.

Vasco da Gama é detentor do recorde do mundo pelas mãos de Mazarópi
Foi entre dois campeonatos cariocas, em 1977 e 1978, que o Vasco da Gama alcançou o recorde do mundo de 18 jogos consecutivos sem sofrer golos, com Geraldo Pereira de Matos, o guarda-redes titular da equipa do Rio de Janeiro, a alcançar o registo de 1816 minutos sem permitir que a bola entrasse na sua baliza. Aliás, a defesa vascaína registou uma média de 0,17 golos sofridos por jogo, a melhor de todos os tempos no Campeonato Carioca.

Conhecido como Mazarópi, ganhou a alcunha pelo seu colega de equipa, Brito, já que se vestia à imagem de um famoso humorista brasileiro, Amácio Mazzaropi. O guarda-redes iniciou a carreira na formação do Vasco, chegando à equipa principal em 1977 para substituir o argentino Andrada. 

Fotografia 
CCR Válega

17 de Janeiro de 2020
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas