Rui Dolores, o presidente/treinador que conduziu a Geração RD de volta à 1.ª Divisão

A Geração RD está de regresso à 1.ª Divisão Distrital, e este é um daqueles casos em que o segredo está mesmo no nome. Rui Dolores, o mentor de um projeto do qual é presidente, assumiu o comando da equipa sénior após a saída de Gaúcho e conduziu-a a uma subida que, garante, “é merecida”. “Trabalhámos muito para conseguirmos este objetivo”, salienta o treinador, que deixará o banco no final da época.

A última jornada da 2.ª Divisão Distrital tinha, como principal nota de relevo, definir quem acompanharia Pinheirense, LAAC e CRAC na promoção à 1.ª Divisão. A Geração RD, que partia com a vantagem de um ponto sobre o restante proponente, o São Roque, demorou pouco tempo a desfazer as dúvidas. Rodolfo Jorge, uma das figuras do campeonato, bisou nos primeiros três minutos do jogo com o Caldas de São Jorge, abrindo caminho a uma vitória tranquila, por 4-1.

“Havia alguma pressão por termos de ganhar, mas esses golos deram alguma tranquilidade à equipa”, explica Rui Dolores, que fala em dever cumprido. “No ano passado ficámos muito tristes porque caímos na última jornada, mas este ano ficámos muito contentes porque subimos na última jornada. Depois de uma época desgastante, conseguimos o nosso objetivo, que é merecido. Fomos a equipa que melhor futebol praticou ao longo da época”, atira.

A época desgastante a que Rui Dolores se refere obrigou-o a acumular o cargo de presidente com o de treinador da equipa da principal após a saída de Gaúcho do cargo. “Houve dificuldade em arranjar um treinador que tivesse conhecimento da 2.ª Divisão. Então, conversei com os atletas e eles entenderam que eu poderia fazer esse trabalho”, conta o técnico, que vai voltar a concentrar-se em exclusivo no papel de dirigente, na próxima época.

“Não quero ter duas funções ao mesmo tempo no clube. Gostei muito destes meses, levo uma subida no meu currículo como treinador, mas não faço questão de continuar”, sublinha.

Líderes travados fora de casa
Ao ‘bis’ de Rodolfo Jorge, o Caldas de São Jorge respondeu por intermédio de Vítor Silva. O 2-1 manteve-se até ao minuto 56, quando Genilson Júnior apontou o terceiro tento do conjunto de Travanca. Pouco depois, José Cavaco fechou as contas do desafio.

Por sua vez, o São Roque, que entrava na última jornada da Série A com esperanças em poder chegar à segunda posição, empatou a zero na visita ao reduto do São Martinho.

O líder da prova, o Pinheirense, salvou-se da derrota em Nogueira da Regedoura no último minuto (1-1), enquanto o Romariz triunfou na casa do Milheiroense por 2-0, marcaram Bruno Ribeiro e Daniel Alves.

O Real Nogueirense levou a melhor diante do Santiais por 3-1, o Válega e o Lobão empataram a uma bola, e o Relâmpago Nogueirense bateu o Sanguedo graças a um tento solitário de Fábio Fernandes.

Rúben Valente bisou no triunfo do Vila Viçosa diante do Fermedo (3-0), enquanto o Tarei regressou às vitórias em Rocas do Vouga (2-0), graças aos golos tardios de Serafim Coelho e Fábio Almeida.

Na Série B, a LAAC, que fechou a prova na primeira posição, empatou a uma bola em Paredes do Bairro, enquanto Vila Nova de Monsarros e Calvão terminaram o duelo entre si com uma igualdade 2-2.

O CRAC somou os três pontos em Mamarrosa, onde venceu por 3-1. Pelos mesmos números, o Águas Boas ganhou na casa do Sosense, num jogo em que Daniel Figueiredo bisou.

Na visita a Valongo do Vouga, o Vaguense triunfou por 2-0, enquanto o Ribeira da Azenha venceu o Aguinense (1-0) e o CD Luso ganhou ao Bom-Sucesso (4-0), com Tiago Amaro a bisar.

JuveForce B e Santo André não saíram do nulo, numa ronda em que Rubinho brilhou com a camisola do Pessegueirense ao completar um ‘hat-trick’ no triunfo, por 4-2, na casa do Carqueijo.

Fotografia
Geração RD

11 de Junho de 2019
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas