Miguel Oliveira: "Não é fácil ficar este tempo todo em casa mas tem de ser”

Já lá vão uns dias desde que Miguel Oliveira viu a sua vida mudar de forma drástica. A 18 de março, a empresa onde trabalha decidiu suspender a sua atividade, permitindo aos seus funcionários passarem a atual fase de pandemia relativa à Covid-19 em casa, de forma a reduzir o risco de contágio.

O jogador dos Leões Bairristas, que lidera a lista dos melhores marcadores da 1.ª Divisão do futebol popular de Espinho, recorda esses tempos com alguma nostalgia. “Sinto saudades de jogar à bola, de ir aos treinos e de trabalhar. Isso também faz falta”, confessa, enquanto admite que “não é fácil ficar este tempo todo em casa, mas tem de ser”.

Com um filho de 1 ano de idade, o tempo livre tem sido dedicado a entretê-lo, com a ajuda da esposa. “Para além disso, às vezes, a minha mulher vai ver as séries de que gosta e eu fico a jogar consola. Cada um tem o seu tempo”, acrescenta.

O segredo para fazer passar as horas nestes dias de isolamento social passa por “distrair-se e ter cuidado com a boca”. “Aqui em casa é um deus me livre. Estou sempre a comer, mesmo que não tenha fome”, confessa, algo que espera ir moderando com o decorrer dos dias, ainda para mais quando a esperança em voltar a jogar esta temporada ainda lhe aquece a alma. “Estou com muita vontade, mas temos de ser realistas”, completa.

Fotografia
Direitos Reservados

30 de Março de 2020
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas