Mauro Mendes fez o “doutoramento” em subidas de divisão e não abdica dos desportos radicais

Mauro Mendes, avançado do Paivense, mantém um registo de assiduidade invejável no que a golos diz respeito. Já leva cinco jogos seguidos a marcar na Divisão de Elite, uma veia goleadora à qual se habituou ao longo dos anos. Regressado à casa que o formou, é um especialista em subidas de divisão nos clubes por onde passou e um fã e empresário na área dos desportos radicais.

Aos 36 anos, Mauro Mendes admite que está em boa forma, “mas a equipa também tem ajudado” a que “os golos surjam naturalmente. “Já tinha acontecido no Lourosa e no Cesarense. No Cesarense até foi especial, porque sagrei-me o melhor marcador do Campeonato Nacional de Seniores, com 19 golos, na época em que o clube passou à segunda fase. No Lourosa, fui o melhor marcador da equipa”, recorda o avançado, acrescentando que a Divisão de Elite é uma competição diferente da do passado. “Sinto que esta divisão está muito competitiva e tem muita qualidade. Pelos anos de experiência que tenho, julgo que posso continuar a ser útil à equipa, mas a nível de dar o salto já não tenho qualquer perspetiva”, garante.

Mauro Mendes tem a particularidade de ter ajudado todos os clubes por onde passou a subir de divisão, mas recusa ser visto como um talismã. “Tive a felicidade de, enquanto jogador, ter ajudado todos os clubes onde estive a subir de divisão. Apesar disso não me considero um mestre das subidas de divisão, porque encontrei sempre equipas com um bom grupo e com qualidade”, admite, ele que contribuiu para as subidas de Mansores, Paivense, Arouca, Cinfães, Cesarense e Lourosa, este último sem derrotas.

Marcar golos não é o único “passatempo” de Mauro Mendes. Continua a lecionar Educação Física na escola, e tem uma empresa de Desportos Radicais, na qual aproveita para exercer algumas atividades. “Na água, por exemplo, costumo participar em todas as atividades, mas há outros desportos radicais que também gosto, como o rapel, a escalada ou até o rafting e o surf”, revela.

O jogador espera continuar a marcar golos e a ajudar a sua equipa, mas admite que “será difícil ao Paivense, para já, pensar numa subida de divisão, porque há equipas com outras estruturas e a investirem mais”. “O nosso plantel tem muita qualidade, acredito que vai melhorar a sua performance, mas a competição é muito difícil”, conclui.

Fotografia
Direitos Reservados

8 de Novembro de 2018
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas