Uma medalha para premiar a paixão de Raul

Para o jovem Raul, acordar cedo ao fim de semana para ir apoiar o Couto Mineiro e o irmão, que atua na equipa de iniciados do clube, tornou-se um hábito. O último sábado não foi exceção, mesmo que o destino fosse Ventosa do Bairro, no extremo oposto do distrito de Aveiro. O que Raul estava longe de imaginar era que, também ele, traria uma medalha para casa.

Na quadra, Couto Mineiro e PARC decidiam o vencedor da Supertaça de Aveiro no escalão de iniciados. Fora dela, Raul fazia a festa, puxando pela equipa e pelos restantes adeptos. Quem o conhece explica que sempre que o clube está em campo, o jovem adepto não se cansa de apoiar a equipa. “Ele é bastante efusivo. A alegria dele e o amor que sente pelo clube são contagiantes”, refere Hugo Ferreira, dirigente do clube.

Ao ritmo de um bombo que rufava sem parar, Raul, que padece de Trissomia 21, lá foi saltando e puxando pela equipa durante o desafio, um cenário tantas vezes visto ao longo de toda a temporada.

A forma entusiasta como o adepto se ia entregando àquele momento, que contagiava toda a falange de apoio do clube, não passou ao lado de Carlos Coelho, membro do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro (AFA). “Achei aquilo tão puro e genuíno. Com a sua inocência, foi bonito ver a forma como estava a vibrar com o jogo”, recorda o responsável.

Ainda se pensou em atribuir-lhe um Cartão Branco, mas a ocasião exigia algo de mais simbólico. Então, Carlos Coelho decidiu oferecer-lhe uma medalha, “um gesto digno da AFA”, salienta. “Ele agarrou-se a mim e deu-me um beijo. Acho que foi bonito”, completa o dirigente. Os responsáveis do Couto Mineiro agradecem a distinção da AFA, que deixou o jovem Raul radiante.

Fotografia
Direitos Reservados

19 de Junho de 2019
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas