Um Inverno com golo na calorosa despedida do futebol

Após 28 anos de uma carreira recheada de aventuras e conquistas, Bruno Inverno disse adeus aos relvados no jogo com a Florgrade FC, a contar para prova final da 1.ª Divisão Distrital, com a particularidade de, na despedida, ter marcado um dos dois golos do CD Arrifanense na derrota por 3-2. Foi substituído aos 66 minutos e teve direito a uma guarda de honra pelos colegas de equipa e pelos adversários, perante a qual não foi capaz de conter as lágrimas.

O avançado, de 38 anos, foi quem abriu o marcador no jogo com o Florgrade FC, considerando que se tratou de “um golo à Inverno”. “Cruzamento para área e mais uma vez de cabeça. Julgo que em toda a minha carreira marquei mais golos com a cabeça do que com os pés. Este ano ainda não tinha marcado, e obviamente que fiquei ainda mais feliz por isso ter acontecido no meu último jogo. Não pontuámos, mas foi simbólico ter marcado”, revela, ele que se emocionou com a guarda de honra a que teve direito, quando saiu de campo aos 66 minutos.

“Fiquei comovido com a surpresa que me fizeram quando fui substituído e não consegui conter as lágrimas com aquela homenagem inesperada e com o carinho demonstrado pelos colegas de equipa e pelos jogadores adversários, a quem agradeço o gesto, já que mostraram o respeito por tudo o que fiz no futebol”, afirma.

Bruno Inverno diz-se orgulhoso da sua carreira e, na despedida, lamenta as bancadas sem adeptos. “Fico triste por terminar a carreira sem adeptos no estádio. Foi difícil não ter o meu filho e a minha esposa a assistir, porque queria abraçá-la quando marquei o golo. Foi um sentimento estranho. Apesar disso, agradeço as várias mensagens que tenho recebido de jogadores com quem partilhei o balneário e também de muitos adversários”, refere.



O avançado considera que se tratou de “uma despedida calorosa” e recorda os momentos que considera mais importantes no futebol, ele que começou a jogar quanto tinha dez anos, vestindo a camisola CD Arrifanense. “Ao todo, conquistei cinco subidas de divisão, três pelo Bustelo, uma pelo Valecambrense e outra pelo Lourosa. Além disso, conquistei dois campeonatos distritais de Elite, duas Supertaças de Aveiro e uma Taça de Aveiro”, sublinha o avançado que jogou ainda em clubes como o FC Cesarense, JD Carregosense, GD Milheiroense e Fiães SC, sendo o melhor marcador do Campeonato de Elite na temporada 2014/2015, ao serviço do SC Bustelo.

“Acho que ninguém superou a minha marca de 38 golos no principal campeonato do distrito. Foi um dos momentos mais importantes da minha carreira. Claro que ter sido campeão também é um orgulho enorme. Não joguei mais vezes no nacional, porque tive sempre preferência por projetos de subida de divisão nas provas distritais. Felizmente, andei sempre em clubes com esses argumentos”, sublinha

Bruno Inverno diz que nunca vai “esquecer todas as amizades feitas no futebol”, admitindo que em pouco tempo vai “sentir saudades do balneário”. “A cereja no topo do bolo é terminar a carreira no clube onde comecei. Também sou dirigente e quero ajudar o Arrifanense nos próximos tempos. É uma forma de continuar ligado ao futebol”, conclui.

Fotografia
Direitos Reservados

10 de Junho de 2021
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas