Roberto Branco: "Temos de nos precaver ao máximo"

Ainda que na Mealhada a situação não tenha atingido os níveis de alarmismo que se registam noutros pontos do distrito de Aveiro, Roberto Branco vai-se apercebendo que o quotidiano na Bairrada se vai moldando à medida que as medidas de contenção à Covid-19 apertam.

São as pastelarias e os cafés praticamente desertos, as ruas sem o movimento de outrora e o tráfego a diminuir a olhos vistos. “As pessoas estão a precaver-se ao máximo”, conta o capitão do CR Antes, mesmo que, “para já, ainda não exista nada de muito grave, nem alarmismo”, na região.

Roberto foi um dos que, nos últimos dias, continuou a trabalhar, com as devidas precauções, claro. “Temos o gel e o álcool para desinfetarmos as mãos e o contacto com as outras pessoas é mais restrito, o menos possível”, explica. Os cuidados estendem-se até ao momento em que regressa a casa, deixando a roupa e os sapatos utilizados no trabalho “num sítio específico, numa zona de contenção”.

“Temos de nos precaver ao máximo”, vai repetindo, amiúde, o goleador do CR Antes, que vai cumprindo o plano definido pelo clube para se manter em forma. “Até os jogadores da 1.ª Liga o têm feito, e nós, atletas amadores, temos de aproveitar para tirar umas dicas deles”, explica, ele que prefere focar-se naquilo que de positivo pode emanar da atual situação pandémica.

“Sem futebol, temos mais tempo para as nossas mulheres e para os filhos, para os jogadores que os têm”, sempre com um espírito pró-ativo. “Não podemos fazer a nossa vida normal, é certo, mas temos de criar rotinas e planos de treino para fazermos atividades em casa. Não devemos optar por ficar em casa sem fazer nada”, avisa.

19 de Março de 2020
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas