Os conselhos do primo Fary na ascensão do goleador Mamadou Sène

Em apenas 15 dias, Mamadou Sène mostrou toda a sua determinação no Fiães SC. Não só conquistou um lugar no “onze”, como, na estreia no Campeonato SABSEG, no último domingo, marcou os dois golos da vitória da sua equipa no reduto da ARC São Vicente Pereira. O avançado tem aproveitado os conselhos do primo, Fary Faye, antigo goleador de SC Beira-Mar e Boavista, para melhorar o seu jogo e afinar a pontaria.

Foi a fechar a primeira parte e a iniciar a segunda que o atacante senegalês sentenciou a partida com a ARC São Vicente Pereira, naquela que foi a primeira vitória do Fiães SC, esta temporada, na elite do futebol aveirense. 

Mamadou Sène teve uma estreia mais do que positiva no Campeonato SASEG, uma vez que treinava apenas há duas semanas antes de realizar o primeiro jogo oficial na competição. Foi, literalmente, chegar, ver e vencer.

“Tenho de admitir que o jogo correu muito bem a toda a equipa, e os meus golos foram mais o reflexo dessa prestação. Marcar por duas vezes dá mais ânimo, e a estreia a vencer da equipa vai fazer diferença no nosso desempenho porque, obviamente, as vitórias dão sempre mais confiança. Esta equipa não tem medo de ninguém e vai lutar sempre pela vitória”, sublinha.

Mamadou Sène diz-se agradado com a qualidade do futebol em Aveiro, ele que se estreou a jogar em Portugal com a camisola do CF União de Lamas, na temporada 2015/2016. De lá para cá, representou o Paredes, o Pasteleira e o S. Félix da Marinha, num percurso em que que os golos foram o denominador comum.

“Sou um jogador que gosta de novos desafios e que quer sempre fazer melhor. No meu caso, fazer melhor é ir marcando mais golos. Por coincidência, ou não, tenho atingido todas as metas que coloco a mim próprio no que diz respeito aos golos”, assegura.

Além da capacidade de superação que tem em relação às próprias expetativas, Mamadou Sène tem contado com o apoio do seu irmão, Ba Sène, que representou o SC Beira-Mar e o RD Águeda, entre outros clubes portugueses, antes de terminar a carreira no Luxemburgo. Nos últimos tempos, o principal apoio, através de vários conselhos, tem chegado de Fary, avançado que se notabilizou ao serviço do SC Beira-Mar e do Boavista.

“Amo o futebol. Não foi por acaso que comecei a jogar quando era ainda criança. Durante o meu trajeto, o meu irmão foi um pilar fundamental. Mais recentemente, o meu primo, Fary, tem-me ajudado a escolher o melhor caminho e aconselhado a melhorar alguns aspetos do meu jogo. Sinto-me a evoluir na minha carreira”, conclui.

Fotografia
Direitos Reservados

22 de Setembro de 2021
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas