“Ninguém pode tocar” em Fábio Martins para que a AD Argoncilhe siga rumo à manutenção

A AD Argoncilhe venceu o dérbi de Santa Maria da Feira diante do CD Arrifanense por 4-1, em jogo da 20.ª jornada da 1.ª Divisão Distrital. Para o conseguir, contou com a inspiração de Fábio Martins, que contribuiu com dois golos para o triunfo da sua equipa. O extremo admite estar em boa forma, ao ponto de os colegas “alertarem” que “ninguém pode tocar no goleador”.

É o segundo melhor marcador da AD Argoncilhe, com cinco golos no campeonato, mercê de ter avançado no terreno, ele que que estava mais habituado a jogar a lateral direito. No papel de extremo, Fábio Martins tem surgido com frequência nas áreas adversárias, não sendo de estranhar os dois golos marcados ao CD Arrifanense, clube que já tinha representado.

“A equipa tentou ao máximo trocar a bola e fazer com que o adversário subisse linhas. Foi assim que aproveitámos os erros deles e eu tive a felicidade de marcar dois golos”, explica o jogador, para quem “a segunda volta do campeonato está a correr melhor” aos argoncilhenses. “Não estava habituado a marcar tantos golos mas, como estou a jogar a extremo, isso tem acontecido mais vezes. Os meus colegas brincam com a situação e dizem que ninguém pode tocar em mim, porque sou um goleador”, revela.

O extremo, de 24 anos, acredita que a “manutenção vai certamente ser alcançada” pelo clube, realçando que o plantel está mais entrosado. “Na segunda volta, a equipa começou a perceber melhor o que o mister pretende e, nós, começámos a estar mais unidos para lutarmos pela manutenção, que é o nosso grande objetivo. Quero ajudar a equipa com golos e assistências, para não andarmos na corda bamba”, afirma.

Fábio Martins jogou 11 anos na formação do Fiães SC, passando pelos juniores do Lusitânia de Lourosa FC, antes de se estrear no escalão sénior pelo CD Paços de Brandão. Jogou ainda pelo Canedo FC e pelo CD Arrifanense, e, pelo meio, chegou a representar a AD Argoncilhe, clube ao qual regressou há duas épocas. “Sou natural de Lourosa, mas posso dizer que me sinto em casa no Argoncilhe. Gostaria de chegar à Elite de Aveiro por este clube”, diz o homónimo do jogador do FC Famalicão, uma das figuras da atual edição da Liga NOS. “A única comparação que consigo fazer com ele é que também sou um jogador veloz. Só isso”, admite, entre sorrisos.

Fotografia
Direitos Reservados

20 de Fevereiro de 2020
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas