“Não é todos os dias que se marca quatro golos num jogo”

A um ponta de lança pedem-se golos, quantos mais melhor. Jonatas Santos sabe-o e, depois do prémio de melhor marcador do Campeonato Safina, na temporada passada, continua a mostrar faro de goleador. A última vítima foi a Ovarense, que sentiu o poder de fogo do atacante, autor de quatro dos cinco golos da primeira vitória dos lamacenses na atual edição do principal campeonato de futebol em Aveiro. 

O feito, lembra, não é inédito, mas não diminui a alegria sentida, principalmente pela evolução registada no coletivo. “Não é todos os dias que temos a felicidade de fazer quatro golos num jogo. Já o consegui na época passada e este ano repeti o feito. Fico satisfeito, porque, apesar de serem individuais, os golos surgem do trabalho da equipa”, destaca o avançado, em jeito de agradecimento ao grupo de trabalho.

Na ressaca de “uma vitória importante”, diante de “um adversário difícil, que se reforçou bem”, Jonatas não esconde a “felicidade”, e elogia a capacidade demonstrada pela equipa, que “trabalhou muito bem” e conseguiu “matar o jogo rapidamente”.

Essa capacidade, garante, é treinada a cada semana, e estende-se ao dianteiro na hora da decisão. “A minha posição é a de ponta-de-lança, e durante a semana trabalho com a equipa técnica e os meus colegas para marcar golos. Fazer quatro golos num jogo é a prova de que estamos no caminho certo e faz com que queira trabalhar sempre mais”, regozija-se Joca, que recusa pressão extra depois da conquista do prémio de artilheiro da última temporada:

“É lógico que vou ser sempre associado ao prémio de melhor marcador da época passada, mas isso não me traz peso nem pressão. Quero continuar a trabalhar, com os pés bem assentes no chão, porque há ainda muito campeonato pela frente”.

Quanto ao futuro, aponta, o foco passa por “fazer melhor e marcar o máximo de golos possível, para ajudar a equipa”, sem “a responsabilidade” de estar no topo da classificação.

“Queremos estar nos lugares cimeiros, porque toda a gente conhece a grandeza do U. Lamas. Agora, uma coisa é certa, toda a gente está ciente de que não temos a responsabilidade de lutar pela liderança, até porque não somos candidatos. Quem se assumiu no início da época foi o Lourosa, o Beira-Mar e o Pampilhosa, e eles é que têm a responsabilidade de vencer todos os jogos que disputam e subir de divisão”, atira, antes de reforçar a vontade de “somar o maior número de pontos e vitórias possível” e de "ajudar a equipa com golos”, algo que o “deixa motivado para continuar a trabalhar”.

26 de Setembro de 2017
Pedro Fernandes
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas