Mudança de paradigma para uma segunda vida da LAAC no Campeonato SABSEG

A última época trouxe uma aposta clara da LAAC, que pretendia lutar pelos lugares cimeiros do Campeonato SABSEG e, eventualmente, pela promoção ao escalão superior. A verdade é que, em campo, os resultados teimaram em chegar, o que resultou na despromoção à 1.ª Divisão Distrital, posteriormente revertida pelo facto de o GDSC Alvarenga ter abdicado do direito desportivo de participar nas provas da Associação de Futebol de Aveiro (AFA). Será uma segunda vida para a formação de Aguada de Cima?

“Penso que seja a segunda ou a terceira”, começa por dizer-nos Tiago Pereira, treinador que assumiu a equipa na fase final de 2021/22 e que se mantém para a nova temporada. “Nos últimos anos, a LAAC apostou sempre para a luta pela subida, mas acabou a lutar para não descer, e acho que esta é uma oportunidade para agarrar com unhas e dentes, de forma que se inverta o que tem acontecido nos últimos dois ou três anos”.

Ainda que mantivesse alguma esperança de integrar o Campeonato SABSEG em 2022/23, o técnico salienta que o plantel foi formado “a contar com a disputa da 1.ª Divisão Distrital” e que a intenção passa por “inverter o contexto que vinha sendo habitual e que era marcado por um forte investimento em atletas com mais experiência, algo que não se traduzia no rendimento que a direção queria”.

“Optámos por deixar de apostar em jogadores mais maduros e com mais experiência no SABSEG, e preferimos atletas jovens, que garantam rendimento imediato e potencial de crescimento futuro”, explica, apontando a “um projeto sólido e a longo prazo, completamente diferente do que vem acontecendo nos últimos anos”.

“A ideia é criar um projeto a longo prazo, com melhoria de performance da equipa a cada ano e com uma aposta no momento em que percebermos que a equipa está preparada”, acrescenta, garantindo, porém, que o clube não vai “andar por andar” e que quer “ganhar o máximo de jogos possíveis e garantir a manutenção logo que possível também”.

Num novo paradigma, “o desafio principal será o de tentar fazer evoluir a equipa”, ao qual se pode juntar “alguma imaturidade, principalmente no início da época”, e a condicionante da “adaptação”.

“Conseguimos ficar com 50% dos atletas, jogadores que queríamos que continuassem por serem jovens e vermos neles potencial de crescimento, e a intenção passa por criar uma equipa forte, com um espírito de grupo coeso”, atesta.

Plantel da LAAC
Guarda-Redes:
Gonçalo Ribeiro e Tiago Cruz;
Defesas: João Bastos, Garcia, Simão Graça, Manuel Ladeira, Ricardo Santiago, Daniel Pereira e David Lopes;
Médios: Antero Marques, Alexandre Leira, Rui Mira, Danilo Andrade, Miguel Ramos e Ricardo Saraiva;
Avançados: Fábio Xavier, Pedro Lima, Gledson Silva, Igor Cunha, Luiz Felipe e Diogo André.

Fotografia: LAAC

10 de Agosto de 2022
Final Version
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas