Mika teve de respirar fundo para bisar na vitória do Alvarenga na 1.ª Divisão Distrital

Mika, avançado que bisou no triunfo do Alvarenga sobre o Paços de Brandão por 3-1, recuperou a tempo de um problema respiratório e destacou-se no jogo da 7.ª jornada da 1.ª Divisão Distrital. O atacante, que trocou o karaté pelo futebol, admite que o seu objetivo é ajudar o emblema arouquense a alcançar a subida de divisão.

O jogador, de 25 anos, apanhou “um susto” na quinta-feira que antecedeu o jogo com o Paços de Brandão, tendo mesmo de recorrer ao hospital devido a dificuldades respiratórias. “Felizmente, não foi tão mau como pensava e acabei por recuperar a tempo”, revela, ele que teve um contributo decisivo para a vitória da sua equipa. “Sabíamos que tínhamos de entrar forte, a pressionar, e foi bom ajudar a equipa num jogo que me correu bem depois de uma semana difícil”, sublinha.

Mika assume que “é indiferente marcar mais ou menos golos” pelo Alvarenga, realçando que o plantel está focado num só objetivo. “A cada semana temos de conquistar os três pontos. No fim faremos as contas, sabendo que estamos num campeonato difícil. Muitas equipas vão perder pontos e vai haver equilíbrio até ao fim. Sei que a minha principal tarefa é ajudar a equipa. É assim que o nosso grupo funciona, com a ambição de alcançar a subida”, afirma.

O avançado, que fez a formação no Taboeira, no Gafanha e no Alba, passou ainda por clubes como Macinhatense, Vista Alegre e LAAC. Hoje, considera que apostar numa carreira no futebol foi a melhor opção. “Comecei a jogar com cinco anos, no Eixense. Naquela altura andava no karaté, mas não gostava daquilo. Os meus pais até me incentivaram a jogar futebol e, desde aí, já lá vão 20 anos”, refere.

Fotografia
Direitos Reservados

31 de Outubro de 2019
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas