Mendonça é o “comandante” do 11 do ano da 1.ª Divisão Distrital

Está encontrado o 11 do ano da 1.ª Divisão Distrital, numa eleição que ficou a cargo dos capitães das 18 equipas em competição na época 2019/2020. Mendonça é a figura de proa, ao ser eleito o MVP da temporada, com Roberto Branco, do CR Antes, a “intrometer-se” numa equipa maioritariamente composta por jogadores dos quatro primeiros classificados, SC Fermentelos, SC Vista Alegre, GDSC Alvarenga e LAAC.

João Figueiredo, que alinhou em todos os jogos do campeonato pelo SC Fermentelos, é quem guarda a baliza do 11 do ano, igualando o colega de balneário Mendonça com 13 nomeações. À sua frente, na linha defensiva, o guarda-redes conta com Rodrigo (LAAC), Alex Silva (SC Fermentelos), Resende (SC Vista Alegre) e Raúl Silva (GDSC Alvarenga), tendo este último sido o defesa mais votado, com oito nomeações. Realce, ainda, para o facto de os jogadores que compõem a dupla de centrais pertencerem às duas equipas menos batidas do campeonato.

No meio-campo, Iafai, da LAAC, foi o jogador que arrecadou mais nomeações, seguindo-se Ricardinho (SC Vista Alegre), o único médio no top 10 dos melhores marcadores da prova, contando dez tentos nas 20 partidas realizadas. O trio fica completo com o seu colega de equipa Danilo Andrade.

No ataque, a escolha dos capitães recaiu no trio que compõe o pódio dos melhores marcadores da 1.ª Divisão Distrital, Mendonça (SC Fermentelos), Tika (GDSC Alvarenga) e Roberto Branco (CR Antes). Na eleição para melhor jogador do campeonato, Mendonça destacou-se com 13 nomeações, seguindo-se Roberto Branco e Danilo Andrade, que completa o pódio. O SC Fermentelos, com 58 menções, foi o clube com mais jogadores nomeados para o 11 do Ano.

Qualidade de “nível superior”
Para José Alexandre, comentador da AFA TV, o 11 do Ano não constitui uma surpresa, dado que é composto por jogadores que só participaram neste campeonato porque acreditaram nos projetos dos clubes. Por outras palavras, são atletas que estão acima da média da competição. “Não é por isso de estranhar que ele seja dominado por jogadores dos quatro primeiros classificados. A única exceção é o Roberto, do CR Antes, um jogador muito acima do nível da 1.ª Divisão Distrital que está num projeto que tem a assinatura dele”, realça.

O comentador admite que o 11 eleito “poderia perfeitamente” ser o seu, “ao qual seria possível acrescentar outros jogadores do mesmo nível”. “Poderia colocar o Mané, do SC Fermentelos, a central, assim como integrar o Diogo Vela, também do SC Fermentelos, que, para mim, foi a grande surpresa do campeonato. Além desses, há também o Bruno Ribeiro, do GDSC Alvarenga. A nível coletivo, e sem nomes sonantes, tenho de destacar as prestações do Paços de Brandão e do Valecambrense, com excelentes trabalhos do Hélder Neto e do Canana, respetivamente”, sublinha, ele que considera que Mendonça, o MVP do ano, “trabalha muito e merece os prémios que ganha”. “Coloco-o no mesmo patamar do seu colega João Figueiredo, porque não há nenhuma equipa que possa subir sem um guarda-rede de grande qualidade. O João foi muito decisivo ao longo da época. Ele e o Mendonça são diferenciadores”, conclui.

O 11 do Ano e a distinção do Jogador do Ano foram definidos a partir das escolhas dos capitães de todas as equipas que participaram na última edição da 1.ª Divisão Distrital, que tinham como única regra não poderem escolher atletas da sua própria equipa. As votações podem ser consultadas na galeria em baixo.

13 de Maio de 2020
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas