Lugar Cativo: Agostinho Correia já fez uma peregrinação e rapou o cabelo pela Geração RD

O Lugar Cativo de um adepto não se cinge às bancadas, e a história de Agostinho Correia pode comprová-lo. É um apaixonado pela Geração RD, clube sediado em Travanca, no concelho de Santa Maria da Feira, e por ele já foi em peregrinação à Santa Maria Adelaide, em Arcozelo, e também rapou o cabelo. Fez tudo isso enquanto desempenha o papel de diretor no clube. Porque a paixão também tem um lado racional.

Aos 57 anos, o quotidiano de Agostinho divide-se entre a vida pessoal, as lides profissionais e trabalho que desempenha por amor à causa na Geração RD. A ligação entre ambos deu-se pouco depois de o clube ter apostado na formação. “Fui diretor de uma equipa de petizes, passei para os traquinas e, neste momento, sou diretor de infantis A e dos seniores”, enuncia, papéis que desempenha com devoção.

O lado burocrático do futebol não o inibe de entrar nas brincadeiras do grupo nem de, por vezes, fazer apostas arriscadas. No ano em que a equipa principal da Geração RD lutava por subir à 1.ª Divisão Distrital, prometeu que iria, a pé, à Santa Maria Adelaide, em Arcozelo, e que raparia o cabelo. A equipa “fez-lhe o gosto” e Agostinho lá cumpriu a palavra. “Uns amigos até me fizeram companhia” durante a caminhada, recorda.

Quanto ao cabelo, bem, é melhor irmos por partes. “Assim que subimos, os jogadores começaram logo exigir que tinha de rapar o cabelo e um deles começou a rapá-lo, mas a máquina ficou sem bateria e só o raparam de um lado”, conta, por entre gargalhadas. Valeu-lhe o amigo Rui Fifas, que “foi buscar uma máquina a casa e acabou o trabalho”.

O futebol é muito isto, confraternização, celebração e partilha de momentos que se tornam inesquecíveis. Para Agostinho Correia, só falta mesmo reabrir as portas dos estádios aos adeptos para que tudo volte a ter um toque mágico. “Nota-se uma diferença grande” nestes tempos de bancadas vazias, garante, ele que antevê uma “alegria enorme” quando os fãs voltarem a ser livres de apoiar as suas equipas ao vivo. “Quando isso acontecer vou sentir uma alegria enorme por poder estar nas bancadas a festejar”. Que esse momento esteja para breve, Agostinho.

Fotografia
Geração RD

29 de Maio de 2021
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas