João Teixeira estreia-se a marcar e ajuda a libertar o Silvalde da maré de azar

A temporada não tem sido um mar de rosas para o Silvalde, nem para João Teixeira, mas a vitória em Ossela (5-0) pode ajudar a afastar “a maré de azar” que se ia instalando por aqueles lados. O ala, que se estreou a marcar em 2018/2019, acredita que a equipa ainda vai a tempo de realizar uma campanha na Série C da 2.ª Divisão Nacional condizente com a anterior, até porque a qualidade não se esvaneceu de uma época para a outra.

O cenário não era o mais desanuviado para o Silvalde, que perdia há quatro jogos consecutivos, incluindo o desaire com o Caxinas para a Taça de Portugal. “Nos jogos com o Boavista, o Nelas e o Caxinas, a vitória podia ter caído para qualquer lado, porque jogámos muito bem. Faltou um bocadinho de sorte e também um pouco de critério”, explica João Teixeira, que confessa que, no último desaire da série negra que a equipa atravessou, “o Saavedra (Guedes) jogou muito melhor”.

Era necessário dar uma reposta, mesmo que pela frente surgisse um Ossela a viver o melhor momento da época, com cinco vitórias seguidas no campeonato. “A primeira parte foi muito mais disputada, mas a segunda pendeu um bocadinho mais para o nosso lado. Começámos a ganhar, e obrigámos o Ossela a abrir alguns espaços. Isso facilitou o nosso trabalho”, lembra, ele que fala de “uma vitória que já faltava há algum tempo”.

João Teixeira contribuiu com dois golos para o triunfo por 5-0, em Oliveira de Azeméis. Foram os seus primeiros remates certeiros na atual época, o que tornou a ocasião ainda mais especial. “Esta maré de azar leva-nos a jogar com um bocadinho mais de pressão e com medo de errar. Conseguimos libertar-nos um pouco desse peso”, atira o atleta, que chegou a Silvalde oriundo da Académica de Leça.

“Era um projeto aliciante, de uma equipa que vinha do distrital, mas nunca pensámos fazer o campeonato que fizemos na época passada”, recorda. No entanto, “com trabalho as coisas acabaram por acontecer”, uma máxima que o ala acredita poder vingar novamente esta temporada: “A nível de equipa e do futsal praticado estamos muito bem, talvez uns furos acima do ano passado. Com esta vitória, vamos ganhar confiança para conseguirmos chegar lá acima novamente”.

Aos 25 anos, João Teixeira divide o tempo entre as quadras e o cargo de diretor de compras na empresa em que trabalha. Conciliar tudo obriga a alguns sacrifícios, nada que o faça abalar. “É mau ao nível de horas de sono, porque a minha profissão exige atenção, mas o amor pelo futsal fala mais alto”, remata.

Saavedra Guedes trava Boavista
O Silvalde foi a única equipa do distrito a conseguir vencer na 9.ª jornada da Série C da 2.ª Divisão Nacional. Aos golos de João Teixeira há que juntar o “bis” de Diogo Silva e o tento de Pulga.

Em Pardilhó, o Saavedra Guedes empatou a duas bolas com o até então líder Boavista. Pedro Silva adiantou os axadrezados, Paulo Silva e Márcio Oliveira deram a volta ao resultado, mas Pedro Andrade repôs a igualdade já perto do fim.

O novo líder da Série C é o ABC de Nelas, que derrotou o Arouca por 9-4. Pedro Lopes e Ricardo Semblano, que completo um “hat-trick”, apontaram os tentos dos arouquenses.

Por seu turno, o Dínamo Sanjoanense desperdiçou uma vantagem de quatro golos na visita aos Amigos Abeira Douro (10-5). Francisco Leitão, por duas vezes, Rui Rodrigues e Pedro Sousa deixaram os sanjoanenses a vencer por 4-0 ao intervalo, mas os locais deram a volta durante a segunda parte.

Na Série D, o Covão do Lobo foi surpreendido, em casa, pelo Cariense (4-0), e viu o adversário encurtar a distância para a segunda posição para apenas um ponto.

Fotografia
Direitos Reservados

6 de Dezembro de 2018
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas