Golos ajudam Marcelo a alimentar o sonho de voltar à ribalta do futebol português

Demorou, mas Marcelo Santos lá se reencontrou com os golos no Avanca, tendo contribuído para os dois últimos triunfos do clube, um para o Campeonato SABSEG e outro para a Taça de Aveiro. Aos 20 anos, o ponta de lança, que chegou a ser internacional português nas seleções de Sub-16 e Sub-17, luta para voltar à ribalta que experimentou durante a adolescência.

Brilhou no Feirense, jogou no FC Porto e no Benfica, pelo qual se sagrou campeão nacional de juvenis em 2015, e ainda passou pela formação do Rio Ave, naquele que é um percurso de respeito nos escalões de formação. Só que a transição para sénior foi mais atribulada do que poderia imaginar, o que o obrigou a baixar à base para um novo início.

“Acho que faltou um pouco de acompanhamento. Tinha empresário, mas não tive tanto acompanhamento da parte dele. Se tivesse, hoje de certeza que estaria num clube melhor”, conta Marcelo, que está apostado em mostrar que ainda tem muito para dar ao futebol.

“Luto todos os dias por esse objetivo. Vim para o Avanca, um bom projeto, para me afirmar e mostrar o meu valor, uma vez que no Campeonato de Portugal não temos tanto essa oportunidade. Pretendo chegar a patamares superiores”, uma meta que o obriga a demonstrar a veia goleadora de outrora.

Os últimos tempos têm dado força às pretensões do avançado, que se estreou a marcar na última jornada do Campeonato SABSEG, na vitória diante do Fiães, e deu seguimento no triunfo do Avanca em Antes, por 5-0, para a Taça de Aveiro. “Foi importante para ganhar confiança e ajudar a equipa”, salienta.

No jogo do último sábado, diante de um adversário que milita na 1.ª Divisão Distrital, “não houve facilitismo”, refere o atacante, que estava ciente de que iria “encontrar uma boa equipa, mesmo sendo de uma divisão inferior”. “Na Taça não há favoritos e eles também queriam mostrar o seu valor, mas acabámos por ser superiores”, acrescenta.

A subida de rendimento de Marcelo é coincidente com a melhor versão do Avanca da época, que superou um arranque complicado. “Temos uma equipa jovem e completamente nova, já que só ficaram seis jogadores do ano passado. Mais cedo ou mais tarde íamos acabar por subir de rendimento, era uma questão de a equipa se entrosar”, explica o atacante, que fala num “campeonato competitivo, com boas equipas e jogadores com qualidade”.

“Está a ser uma boa experiência. Dá para mostrarmos um pouco de nós”, completa Marcelo Santos, que, para lá de goleador, é operário fabril numa empresa em Oliveira de Azeméis.

3.ª eliminatória da Taça joga-se a 30 de dezembro
A vitória do Avanca permitiu-lhe avançar para a 3.ª eliminatória da Taça de Aveiro, na qual vai defrontar o Carregosense. O Ronda, o restante representante do futebol popular ainda em prova, mede forças com o Vista Alegre, enquanto o Cucujães recebe o Valecambrense.

S. João de Ver e Argoncilhe defrontam-se numa ronda em que o Macieira joga com o Bustos, o Vaguense recebe o Beira-Mar, e o Oiã mede forças com o Santo André.

A Geração RD, da 2.ª Divisão Distrital, visita o Estarreja, da Divisão de Elite, enquanto o Fiães defronta o Mamarrosa. Destaque, ainda, para o duelo entre o Beira-Vouga e o Relâmpago Nogueirense, para a visita do CRAC ao Bustelo, e para a receção do Paivense ao Vila Viçosa.

A LAAC mede forças com o U. Lamas, o Fermentelos defronta o Alba, o Alvarenga recebe a JuveForce, enquanto S. Vicente de Pereira e Ovarense reeditam o sempre escaldante dérbi “vareiro”.

Os jogos estão agendados para a tarde do próximo dia 30 de dezembro.

6 de Dezembro de 2018
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas