Formar para apostar é o lema da ACR Vale de Cambra

Os escalões de formação são, mais do que a base, a identidade de um clube. Com um grau de aproveitamento variável, começa a ser comum uma aposta maior na “prata da casa” e, prova disso, é a ACR Vale de Cambra que, na temporada que agora acabou, optou por rentabilizar os seus recursos, integrando na sua equipa principal vários atletas provenientes dos escalões de formação.

João Bastos, Pedro Gomes e Eduardo Lages conhecem a ACR como a palma da mão e, ao longo dos últimos meses, puderam cumprir um sonho de criança, passando da bancada, onde apoiavam a equipa sénior, para a quadra, que dividiram com alguns que viam como ídolos da modalidade.

“A aposta surgiu a meio da época e significou bastante para mim”, começa por dizer João Bastos, de apenas 16 anos e há 9 a representar o clube. A ideia é partilhada por Pedro Gomes, que, aos 17 de idade e depois de 11 na ACR Vale de Cambra, não esconde a felicidade pela oportunidade que lhe “permitiu crescer ainda mais como jogador”, já que passou “a jogar e treinar com atletas mais experientes e com muita qualidade”.

Também com 17 anos, Eduardo Lages mostra-se satisfeito pela confiança depositada. “Significa que alguém está atento ao trabalho dos mais novos e é capaz de reconhecer a nossa qualidade. As pessoas acreditam que, apesar de eu ser mais novo, já tenho valor e sou capaz de ajudar a equipa sénior”, defende, ele que até se estreou a marcar logo no primeiro jogo realizado em casa:

“Senti-me realizado. Desde pequeno que acompanho a equipa sénior e sempre ambicionei poder estar lá dentro um dia e ter essa oportunidade. Esse dia chegou e, na estreia em casa, consegui marcar”, explica, enquanto recorda a “sensação incrível e a forma como a bancada festejou”, reação que lhe “transmitiu o orgulho que os adeptos sentiram ao verem o “menino da casa”, que fez a formação toda no clube, a marcar o primeiro golo nos seniores”.

Para Pedro, João e Eduardo, chegar à equipa sénior da ACR Vale de Cambra é o cumprir de um “sonho” e nenhum deles se esconde na hora de “agradecer a aposta da estrutura técnica e diretiva” do clube.

“Chegar à equipa sénior era algo que já tinha como objetivo e ambição. Vi o meu trabalho e a minha qualidade a serem reconhecidos e recompensados”, fundamenta Eduardo Lages, que representa a formação de Vale de Cambra há cerca de 13 anos, desde os 4 de idade.

Agora, há que dar continuidade, sublinham, procurando motivar aqueles que, como eles, se preparam nos escalões de base do clube. “O nosso caso serve de exemplo e de motivação para os outros jovens que estão na formação e, que, ao verem a nossa situação, sabem que com muito trabalho e esforço terão as portas da equipa sénior sempre abertas para eles também”, aponta Pedro Gomes.

É caso para dizer que, para a ACR Vale de Cambra, no formar é que está o ganho.

23 de Junho de 2022
Final Version
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas