Derlei ganhou a alcunha da bancada mas é na quadra que fatura

Paulo Monteiro foi a figura do Bairros na vitória por 5-0 sobre a Casa do Povo de Esgueira, no Campeonato Grande Hotel de Luso, ao marcar dois golos pela formação de Castelo de Paiva. O jogador, que ganhou a alcunha de “Derlei” quando jogava futebol, encontrou no futsal - e no Bairros - um motivo para tentar repetir um feito do passado: jogar nas provas nacionais.

Deu os primeiros passos no futebol ao serviço do S. Martinho, onde chamou a atenção do FC Porto, era ainda iniciado. A paixão pela bola foi retribuída com uma oportunidade única, à qual Paulo Monteiro não teve possibilidade de dar continuidade. “Fui fazer uns testes e gostaram, mas era difícil para mim entrar na rotina das deslocações, não tinha hipótese. Por isso, decidi voltar a Castelo de Paiva, ao S. Martinho, e mais tarde, nos juniores, alinhei pelo Paivense”, conta, ele que acabaria por trocar os relvados pelos pavilhãos uns anos mais tarde. “Os treinos de futebol eram exigentes e obrigavam-me a despender mais tempo. Estava a estudar na Universidade, não podia treinar todos os dias, e no Bairros encontrei a possibilidade de continuar a praticar desporto”, diz.

Ainda antes de ter chegado à quadra, o jeito de Paulo Monteiro valeu-lhe uma alcunha que ainda hoje é pronunciada com frequência e que acabou por transitar para o futsal. “Num jogo pelo S. Martinho, e na altura em que o Derlei jogava no FC Porto que conquistou a antiga Taça UEFA, os adeptos que estavam na bancada começaram a chamar-me Derlei. Tinha uma forma parecida de me movimentar e de jogar. Agora, só no trabalho é que me tratam pelo meu nome verdadeiro”, revela.

Os dois golos apontados à Casa do Povo de Esgueira espelham a boa forma de uma equipa que está focada em cumprir os objetivos delineados. “A nível individual, a época está a correr-me bem, mas o meu objetivo principal é sempre a parte coletiva. O facto de ter marcado dois golos foi importante, porque permitiu que a equipa tivesse mais tranquilidade para gerir o jogo de outra forma, mas o mais importante é chegarmos à reta final do campeonato na luta pela subida de divisão. Há alguns anos que o clube tem vindo a reforçar a sua estrutura diretiva e desportiva para conseguir lutar por esse objetivo. Temos vindo a apresentar qualidade em todos os jogos e podemos sonhar com a subida”, admite.

Jogar nas provas nacionais não é uma novidade para Derlei, que representou o Desportivo da Ordem na 2.ª Divisão Nacional. O ala assume querer vestir a camisola do clube da sua terra num patamar superior. Até lá, vai-se desdobrando entre o futsal e a engenharia informática, ele que desenvolve software para uma operadora de telecomunicações multinacional. “Há três anos, joguei nas provas nacionais, que era um sonho meu. Ambiciono disputar novamente um campeonato nacional e em representação do Bairros, que foi a minha primeira equipa no futsal. É onde me sinto bem”, conclui.

10 de Janeiro de 2019
Vítor Hugo Carmo
[email protected]afatv.pt
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas