Dani Avelar: de “team leader” no trabalho a goleador na “quadra”

Dani Avelar confessa que fez um jogo abaixo das suas expetativas no triunfo por 7-3 do Lusitânia de Lourosa FC sobre o GRC Telhadela, na 9.ª jornada do Campeonato Grande Hotel de Luso. Apesar disso, o fixo/ala ainda completou um “hat-trick” para a sua conta pessoal, ele que exerce a profissão de team leader e que vê no plantel do clube que representa “um grande espírito de grupo”.

O fixo/ala garante que, na “quadra”, “o espírito competitivo do Lourosa é muito forte”, não encontrando relação entre o seu cargo de “team leader” numa empresa de colchões com algum tipo de liderança na sua equipa de futsal.

“Temos o nosso capitão, que lidera, mas o espírito que vivemos é de família e de um entendimento em que cada um percebe o que pode dar à equipa. Isso é o mais importante. Talvez por isso a época esteja a desenrolar-se acima das minhas expetativas”, explica, admitindo que o “hat-trick” no jogo com o GRC Telhadela não espelha a sua exibição.

“Admito que não foi um dos meus melhores jogos, mas também sou um jogador que nunca tem as expetativas baixas. Sinto que estou cada vez melhor, que posso dar cada vez mais à equipa, mas esse jogo não foi o melhor”, confessa.

Aos 21 anos, o fixo/ala continua a olhar para o futuro com a esperança de evoluir na carreira, sublinhando a importância de todos os que têm contribuído para o motivar, como o atual treinador do Lusitânia Lourosa FC, Renato Teixeira.

 “Os meus pais têm sido sempre importantes e a minha formação na PARC foi especial, porque me senti a crescer como jogador e tive a ajuda dos meus colegas e treinadores. O mister Renato foi-me aconselhando sempre e também me ajudou muito a melhorar capacidades menos desenvolvidas”, conclui.

Fotografia
Direitos Reservados

9 de Dezembro de 2021
Final Version
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas