Antevisão e análise ao Campeonato SABSEG por José Alexandre Silva

Esta semana, em virtude do final da primeira volta, os moldes desta crónica serão ligeiramente diferentes. A intenção será escolher as prestações mais positivas e aquelas que considero negativas. Como tudo na vida, esta será, sempre, uma análise subjetiva e passível de discussão, mas não deixa de ser uma opinião. A minha. E com o valor circunstancial que tem. Obrigado por estarem aí desse lado!

Positivo
Por muito favorito que fosse neste terceiro ano que se encontra no principal campeonato da Associação de Futebol de Aveiro, o Beira-Mar chega ao final da primeira volta com 45 pontos, fruto de 14 vitórias e três empates, ou seja, ainda invencível. O plantel às ordens de Cajó é ainda o segundo melhor ataque e a defesa menos batida. Um percurso quase perfeito, que merece ser destacado.

A prestação do Bustelo merece uma palavra de apreço. Está no lote das boas equipas deste campeonato, ao que não é de todo estranho o facto de ter o mesmo treinador há algumas épocas. É, nesta altura, a equipa mais perto do líder, o que, para mim, mesmo com todo o valor do plantel, não era expectável. E não parece querer abrandar. É o melhor ataque e tem dois dos três primeiros melhores marcadores.

Por último, queria destacar três equipas do top 10. A primeira é o Alba, por estar com 32 pontos, à frente do candidato São João de Ver, com os mesmos pontos do União de Lamas e a apenas três do terceiro classificado, o Pampilhosa. Os parabéns para o Hugo Oliveira.

Depois, destacar o Mansores. Recém-promovida ao Campeonato SABSEG, a formação liderada por Vasco Coelho, que já merecia um projeto destes, está em oitavo lugar e tem sido um duro oponente para todos os adversários. Por último, o Avanca. Se olharmos à prestação do clube da época passada, pode-se pensar que não faz sentido. Mas quem está atento sabe a renovação que foi feita e a aposta arriscada na juventude, que poderia ter corrido pior. Começou mal mas a maturidade chegou rápido e, com ela, os pontos.

Negativo
As prestações de Pampilhosa, União de Lamas e São João de Ver não são, mais ponto menos ponto, positivas. Sendo candidatos assumidos à subida, as expetativas apontavam que nesta altura tivessem mais pontos, principalmente se contarmos com o facto de pelo menos as primeiras duas terem tirados pontos ao Beira-Mar. Ou seja, os pontos que perderam pelo caminho e que fazem com que estejam a dez ou mais dos aurinegros foram, para além dos duelos entre eles, contra equipas de outras ambições. Não se pode dizer que já estejam arredados da luta, mas têm a vida complicada.

Quatro derrotas seguidas, três delas contra equipas com os mesmos objetivos, levaram o Estarreja para um impensável 12.º lugar e com apenas mais quatro pontos que o Alvarenga, que é a primeira equipa do lote das três que descem. Sabendo que o objetivo seria fazer um campeonato tranquilo, alguma coisa não está bem no plantel às ordens de Bruno Magno Grave, que tem que arrepiar caminho se não quiser, no último terço, estar envolvido na luta pela salvação.

Vista Alegre e Mourisquense são, nesta altura, o penúltimo e o último da classificação. Já se sabe que tem de existir sempre quem esteja nestes lugares em qualquer tabela. Mas, independentemente disso, não era crível que tivessem tão poucos pontos e, no conjunto das duas formações, apenas uma vitória. A não ser que muita coisa mude, e ambas já mudaram de treinador, a descida será difícil de evitar.

25 de Janeiro de 2019
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas