Antevisão e análise ao Campeonato Grande Hotel de Luso por João Tiago Araújo

A jornada
A terceira jornada do Campeonato Grande Hotel de Luso confirmou o Beira-Ria e a PARC como as equipas mais consistentes deste arranque da prova.

A formação da Gafanha do Carmo ganhou fora de portas ao Arrifanense, por um placard esclarecedor de 6-2. Para além de continuarem como o melhor ataque da prova (21 golos), os comandados de Fernando Rocha demonstram, a cada fim de semana, ser uma equipa sólida e com muitas opções válidas para conseguirem responder às incidências do jogo – estiveram em desvantagem pela terceira jornada consecutiva, mas acabaram por, de forma algo natural, levar os pontos em jogo.

No jogo que era apontado como um dos destaques da jornada, a PARC venceu o dérbi oliveirense com o Cucujães (4-2) e continua só com vitórias. Depois de um jogo quase sempre muito dividido, os minutos finais foram intensos, quer no campo quer na bancada, com golos de 5 contra 4 para ambas as equipas e a reviravolta a sorrir à equipa de Miguel Pinho.

Nos outros campos, realce para a vitória do Arouca sobre a Juventude de Fiães (5-4). O conjunto fianense, que continua sem vencer no campeonato, até esteve a vencer por dois golos. A equipa de Paulo Pereira passou para frente na segunda parte, sofreu o empate a jogar em superioridade numérica e ainda foi a tempo de chegar à vitória, nos últimos segundos, em situação de ataque de 5x3+GR.

Na parte de baixo da tabela, Barcouço e Telhadela seguem sem pontos. Os bairradinos perderam em casa com o Mozelos, que se apresenta já como uma das equipas com melhores executantes do campeonato, ao passo que o Telhadela esboçou uma recuperação incrível mas foi castigado pela inspiração do goleador João Reis “Jota”.

O destaque
Os golos. A jornada com mais golos (61) foi especialmente produtiva no sul do distrito. Nos jogos da Palhaça, de Travassô e de Esgueira, tudo somado, foram apontados 31 dos golos desta semana, uma média superior a 10 golos/jogo. Goste-se ou não da forma, concorde-se ou não com o conteúdo, todos devemos respeitar que é com golos e jogos emotivos que se puxam cada vez mais gentes da terra e mais adeptos para os pavilhões – e, consequentemente, mais pessoas e mais atletas para a modalidade. Especialmente numa zona do distrito onde há tendencialmente menor fervor e menor acompanhamento por parte dos adeptos. Por tudo isto, jogos como o Esgueira-Gafanha, com 13 golos, podem não ser muito bem vistos por alguns treinadores, mas podem ser muito mais benéficos para a modalidade do que o que possa parecer à primeira vista.

A antevisão
Perspetivando a quarta jornada, o destaque maior vai para o jogo entre a Juventude de Fiães e o Arrifanense. A equipa de Élio Almeida precisa de dar uma resposta a este arranque de época menos conseguido e tem pela frente um dérbi concelhio diante de uma equipa que também vem de uma derrota.

Nas outras partidas, o PARC-Travassô coloca a invencibilidade das duas equipas em jogo, num encontro que se prevê muito equilibrado, enquanto o Beira-Ria vê a sua liderança e a sua boa fase testadas na receção à ADREP. Referência ainda para o jogo entre Mozelos e CP Esgueira, duas das equipas que têm mostrado maior pendor ofensivo e que mais têm procurado a baliza adversária nestas primeiras jornadas do campeonato.

8 de Novembro de 2019
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas