Antevisão e análise à Divisão de Elite por José Alexandre Silva

A jornada
A quinta jornada da divisão de Elite trouxe-nos a primeira derrota do Mansores na prova, às mãos do Beira-Mar, que cumprindo a sua missão de candidato, não teve contemplações no Municipal de Aveiro e venceu a equipa de Vasco Coelho por três golos sem resposta. Com este resultado, o Esmoriz é agora o líder incontestado, após um empate “saboroso” no terreno do União de Lamas. A equipa da Barrinha está a fazer um campeonato incólume e já somou cinco pontos na condição de visitante: em Santa Maria de Lamas, Estarreja e Carregosa, campos tradicionalmente complicados. Uma nota para as primeiras vitórias de Mourisquense e Paivense e para o ponto inaugural de Macieirense, frente ao Vista Alegre, que não conhece outro resultado que não o empate.

Destaques
São dois os destaques desta jornada. E naturais. O primeiro vai para a goleada do Estarreja frente ao Pampilhosa por 5-0. O mérito vai todo para os comandados de Bruno Magno Grave, que estiveram irrepreensíveis em todos os momentos do jogo. No entanto, queria deixar uma palavra de apreço ao grupo liderado por Maná e, principalmente, ao treinador. Sei bem o que custa sofrer um resultado tão avolumado como este, que acontece, sobretudo, porque chega a uma altura em que para o responsável técnico é necessário decidir se vale a pena arriscar tudo para ir buscar, pelo menos, o empate, ou se espera que as coisas se resolvam sem alterar nada no esquema tático. Quando se arrisca e se destapa qualquer coisa, está-se sujeito a tudo, e quando as coisas estão para correr mal correm mesmo. Nessa altura, e não custa admiti-lo, o que mais queremos é que o tempo acabe rápido, para não deixar marcas mais dolorosas.

Se há casos de insucesso quando se arrisca, também existem outros de sucesso. E no caso da receção do Mourisquense ao S. João de Ver, a formação da casa “petiscou”. O mérito é de todos, naturalmente, principalmente dos jogadores, mas gostava de ter estado no balneário dos Pilatos para ouvir as palavras do meu amigo Pedro Moniz ao intervalo, quando perdia por 0-2. As alterações efetuadas e o golo inaugural do carismático capitão Paulo Monteiro deram o mote à “remontada”, deitando por terra os dois golos de Zé Bastos na etapa inaugural.

A antevisão
O texto já vai longo e não quero ser muito mais extenso. Muito se vai jogar em S. João de Ver, com a receção da equipa de Ricardo Maia ao Beira-Mar. A formação da casa já perdeu por duas vezes na competição e precisa de ganhar, mais do que em qualquer altura, para não deixar fugir os aurinegros na luta pela subida.

Por outro lado, será interessante ver como joga o Esmoriz contra o Alba, equipa capaz do melhor contra as equipas de topo e do pior contra equipas, teoricamente, do mesmo nível. A reação do Pampilhosa à goleada na receção ao Avanca e a gestão da “euforia” do Estarreja no reduto da melhor defesa do campeonato, o Vista Alegre, também serão jogos interessantes de acompanhar.

19 de Outubro de 2018
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas