Antevisão e análise à 1.ª Divisão Distrital por José Alexandre

A jornada
Nunca é bom começar uma crónica, seja ela qual for, com um jogo interrompido. E é uma pena quando isso acontece. Principalmente porque, por norma, os prejudicados são os menos culpados, os jogadores e os treinadores, que veem o seu esforço diário, a cada treino e a cada jogo, prejudicado por uma ação de outrem.

Não vale a pena dizer que aconteceu por culpa de alguém. Não estive no jogo e este campeonato ainda não tem os jogos na extraordinária plataforma que é a AFA TV. Por isso, não sei o que levou a um ato irrefletido, mas o que sei, ancorado nos 19 anos em que fui treinador em todos os escalões (e mais alguns enquanto jogador), é que nada justifica uma (suposta) agressão. O plantel do Paços de Brandão, a fazer um campeonato de sonho, merece ser realçado por tudo o que faz em campo. E que faz muito bem. E o Vista Alegre igual.

A quem isso não interessa é aos adversários. E tanto Alvarenga como a LAAC conseguiram, com maior ou menor dificuldade, os três pontos. Por isso, a batalha promete ser feroz pelos dois lugares que, à partida, vão sobrar na luta pela promoção, uma vez que só uma hecatombe tirará ao Fermentelos e ao Vista Alegre o regresso ao Campeonato SABSEG.

O destaque
Nesta jornada, o destaque vai para duas vitórias importantes. A primeira, os 3-0 com que o Pinheirense presenteou o Valecambrense, no seu estádio. Tinha referido, na semana passada, que seria um dérbi difícil para a formação de Canana. Apesar de já ser sintético, jogar em Pinheiro da Bemposta nunca foi fácil para ninguém, mas nunca pensei, a bem da verdade, que, ganhando, os locais o pudessem fazer com um resultado tão desnivelado.

Depois, realce para a recuperação extraordinária do Mourisquense, que aos 22 minutos perdia, em casa, com o Argoncilhe, por 2-0. Um golo de Fábio Diogo, um bocadinho antes do intervalo, deu o mote à formação de Carmindo Dias, que, na segunda parte, se agigantou. Depois do empate, feito por Rui Mira, marcou o golo da vitória aos 87 minutos, por Raimundo. Uma vitória da garra Mourisquense.

A antevisão
Com as jornadas a passarem rapidamente, todos os pontos valem ouro. Daí que não haja nenhum jogo mais importante que outro. O confronto entre as surpresas Valecambrense e Paços de Brandão ganha uma importância acrescida, porque a equipa da casa, a seis pontos do quarto classificado, ganhando mantém, pelo menos, a esperança, e porque os brandoenses, ainda dentro dos lugares de subida, querem continuar a estar num sítio onde não era expectável estar nesta altura do campeonato.

Depois, na luta pela despromoção, as contas começam a pesar à CRAC e ao Calvão, que precisam de, pelo menos, pontuar. Jogando contra as duas melhores equipas do campeonato, o primeiro indo ao Vista Alegre e o segundo recebendo o Fermentelos, tanto Luís Miguel como Raúl Garcia sabem que qualquer ponto conseguido é valor acrescentado. Até para não deixarem que o fosso para a salvação não continue, a cada semana, a aumentar.

14 de Fevereiro de 2020
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas