Alex estreou-se no futebol a marcar golos, mudou-se para a baliza e já é especialista nos penaltis

Não tem sido o guarda-redes titular do CCR Válega mas admite que tem lutado para isso. Alex entrou no final do tempo regulamentar do jogo com a Geração RD e no desempate por grandes penalidades do jogo dos quartos de final da 1.ª Divisão Distrital acabou por se evidenciar com uma defesa que valeu à sua equipa a passagem à eliminatória seguinte da Prova Final. Aos 21 anos, não esquece como começou no futebol, com dois golos marcados no seu primeiro jogo, mas que não foram suficientes para o impedir de realizar o seu desejo de ser guarda-redes.

Alexandre Marques, conhecido no futebol como Alex, pediu ao seu pai para que o inscrevesse no futebol quando tinha apenas 5 anos, vestindo a camisola da AD Ovarense. “Eu joguei como avançado no primeiro jogo e marquei dois golos. No entanto, foi algo que não me convenceu e no treino seguinte pedi para ir para a baliza. Percebi logo que era o que queria”, conta o guarda-redes.

A determinação de Alex também foi evidente no recente jogo do CCR Válega, e o penálti que defendeu na “lotaria” com a Geração RD foi o expoente de uma estratégia devidamente delineada. “Não sou o habitual titular, mas tenho trabalhado para isso. Contudo, não é fácil, porque tenho dois colegas com qualidade e muita experiência. O mister decidiu que seria eu a defender os penaltis caso o jogo tivesse de ser decidido dessa forma e já estava mentalizado para isso”, confessa, sublinhando que, de cada vez que pisa a linha de baliza para defender uma grande penalidade, usa as suas “armas” para tentar interpretar as intenções dos adversários.

“Foi uma semana normal de trabalho e treinei bem os penaltis. Quando chegou à decisão fiz o que sempre faço nas grandes penalidades. Tento perceber as caraterísticas do jogador, se é destro ou canhoto, e fixo-me no seu olhar, esperando até ao último segundo para perceber como vai colocar o pé de apoio antes do remate”, revela.

O guarda-redes orgulha-se do seu desempenho ao ajudar a equipa a passar às meias finais da 1.ª Divisão Distrital, recordando que o jogo da Geração RD foi de muitas emoções. “Julgo que o plantel ganhou ainda mais motivação quando o Pedro, nosso defesa central, se lesionou no aquecimento. Apesar de sentirmos um ligeiro abalo quando isso aconteceu, acabámos por entrar no jogo mais determinados e sem baixar os braços”, conta.

Alex sente-se “cada vez mais motivado” no CCR Válega, ele que nas duas últimas épocas representou o CD Tarei, clube onde esteve grande parte da sua formação, com passagens pela AA Avanca, ARC São Vicente Pereira e Lusitânia de Lourosa FC.

“Estava a precisar de novos desafios e foi por isso que aceitei o do Válega. Tenho as pessoas certas ao meu lado e quero chegar a um patamar mais elevado. Até lá chegar sei que tenho de trabalhar para ser ainda melhor no jogo de pés, porque a função de um guarda-redes do futebol moderno não é apenas defender”, conclui.

17 de Junho de 2021
Vítor Hugo Carmo
[email protected]
Notícias Relacionadas
Jogadores
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas