AD Nogueira da Regedoura quer reforçar estatuto de equipa de 1.ª Divisão Distrital

Com duas manutenções consecutivas, a AD Nogueira da Regedoura encara 2022/23 com a mesma ambição da última época. Num campeonato que Nuno Gonçalves antevê complexo, a permanência será um bom resultado e permitirá reforçar o estatuto de equipa de 1.ª Divisão Distrital.

O 6.º lugar alcançado na série Norte, na última temporada, foi ao encontro das intenções do clube, que desde a subida procura assegurar um estatuto “de equipa de 1.ª Divisão Distrital”, para o qual muito contribuem as “duas permanências consecutivas”.

“Isto não significa que conseguimos alcançar esse estatuto, mas a verdade é que lutamos para isso e estes dois anos são meritórios”, sublinha Nuno Gonçalves, garantindo que, para a nova época, “a ambição é a mesma”, mesmo “sabendo que o campeonato é muito mais difícil”.

“Acho que nunca houve um campeonato da 1.ª Divisão Distrital aparentemente tão difícil como o que se aproxima. Há quatro equipas que desceram que são, desde logo, candidatas aos dois lugares de subida, fora as que já estavam nesta prova e que sabemos que têm orçamentos bons para esta realidade. Vai ser um campeonato em que todos podem ganhar ou perder contra todos”, aponta.

Com “muita ilusão” e preparada “para entrar em cada jogo como se fosse uma final”, a AD Nogueira da Regedoura encara a nova época com motivação redobrada, “sem medo” e pronta para “lutar com as armas” de que dispõe. “Temos de olhar para a nossa realidade, ter os pés bem assentes na terra e lutar com as nossas armas, sem medo. Vamos à luta olhos nos olhos contra todos. Sempre foi assim, não seria diferente agora”, garante o técnico, que pretende “angariar o máximo de pontos possível” e se mostra feliz por poder estrear “uma casa nova, que será utilizada desde início” e na qual quer “construir uma fortaleza”:

“Vamos tentar fazer sofrer quem lá vier e, quando jogarmos fora, logo se vê, porque “à terra onde fores ter, faz o que deves fazer”. Na nossa casa, temos de mandar e fazer perceber quem lá vier de que existe ADN no nosso nome, mas também existe um ADN muito próprio na nossa equipa, que vamos tentar provar”.

Num ano em que “a montra é diferente”, até pelos “clubes históricos que têm muitos pergaminhos nesta divisão”, Nuno Gonçalves prevê que a prova seja encarada “com mais interesse” e deixa um aviso, de antemão, para quem vê o clube como “o “patinho feito” deste campeonato”.

“Nós até comprámos um equipamento novo, para que não fosse tão feito como em anos anteriores... Vamos lutar contra tudo aquilo que for surgindo, é um desafio grande e aliciante, mais ainda quando já nos dão este rótulo, porque queremos mostrar às pessoas que quem vê o pacote não vê o conteúdo”, atesta, vincando que, para responder à saída de atletas, o clube foi recrutar “mais miúdos, alguns que nem carta de condução têm e nem quiseram saber se tínhamos prémios ou não, porque querem apenas competir”.

“Temos de nos agarrar a isso e agradecer, e é com eles que vamos à luta, com a vantagem de que pouca gente os conhece. Para nós, a maioria dos jogadores são um dado adquirido, porque já os conhecemos, mas para fora são uma incógnita”, acrescenta, reforçando que “será um desafio grande” e que a equipa vai “à luta sem medo”.

O plantel, esse, “está fechado”, depois de terem aparecido “36 rapazes para treinar” na pré-época, incluindo quem “quisesse vir treinar à experiência”. “Tivemos alguns clubes históricos a querer fazer parceria connosco, mesmo que ainda se ouça por aí, algumas vezes, que eramos um clube da INATEL. Isso, para nós, é um motivo de orgulho”, assume Nuno Gonçalves, garantindo que “quem viesse agora podia ser o melhor do mundo, mas já não teria espaço”:

“A família está montada, os cabides estão ocupados e cada um sabe já qual o seu espaço. Não pode entrar mais ninguém, senão daria uma confusão muito grande”.

Plantel da AD Nogueira da Regedoura
Guarda-Redes:
Guima, Miguel Cardoso e Rui Pedro;
Defesas: Diogo Morais, André Cruz, Francisco Ribeiro, Edgar Rios, Miguel Mota, Carlos Silva, Miguel Amorim, Rui Vieira e Wilson Ferreira;
Médios: Jota, Machado, Ricky, Pedro Torres, Migueis, Pedro Carvalho, Miguel Pardal, Bruno Silva e Ramin;
Avançados: Nelson Diogo, Fábio Valente, Francisco, Bruno Valente, Nuno Soares, Wilson Santos e Bryan.

Fotografia: Direitos Reservados

12 de Setembro de 2022
Final Version
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas