Vitórias dão força ao Arrifanense para aguentar calendário apertado

Tem sido um início de época sempre a abrir para o Arrifanense, mas quem corre por gosto não cansa. Nos últimos dias, a equipa de Joel Santos apurou-se para a terceira eliminatória da Taça de Portugal e, no Campeonato Grande Hotel de Luso, subiu à segunda posição, a três pontos do líder, Arouca. “Estamos num momento bom e numa fase ascendente”, atira o técnico, crente numa temporada positiva.

Depois de um ano marcado pela conquista da Taça Distrito de Aveiro, o Arrifanense não parece querer abrandar o ritmo. O troféu valeu uma vaga na atual edição da Taça de Portugal, na qual os verde e brancos vão brilhando. Já vão na terceira eliminatória, depois de afastarem o Arsenal Parada (6-4) e o Âncora Praia (6-5), ambos da 2.ª Divisão Nacional.

“Sonhar faz parte da vida”, atira Joel Santos, com a vitória sobre o Âncora Praia ainda bem fresca na memória. “Foi um jogo complicado, no qual tivemos que trabalhar e lutar muito”, explica, lembrando um duelo “frenético”, do qual saiu um “resultado inteiramente meritório e justo”, sobretudo pela “enorme capacidade em dar a volta às adversidades do jogo” evidenciada pelos seus atletas.

A caminho da terceira eliminatória da Taça de Portugal, Joel Santos sabe que “é muito difícil chegar muito longe nesta prova para equipas no nosso formato”, mas isso não mata o sonho de “chegar o mais longe possível e de poder, quem sabe, viver a experiência de ter pela frente um dos 'grandes' do nosso futsal”. Tem a palavra o sorteio.

Em crescendo no campeonato
As emoções da Taça não retiram o foco do Arrifanense no Campeonato Grande Hotel de Luso, mesmo que não seja fácil gerir um volume tão intenso de jogos. Ainda assim, Joel Santos prefere “olhar para o calendário apertado de forma positiva”. Ele traz “mais ritmo competitivo, mais aprendizagem e de, certa forma, acaba por obrigar a não perder o foco, pois não há tempo para isso”, sendo disso exemplo a vitória diante do ARCA (9-4), apenas três dias depois do intenso duelo com o Praia Âncora.

“Apesar de um arranque menos bom, estamos dentro do que perspectivamos”, acrescenta o técnico, num ano em que, acredita, “as equipas do topo da tabela vão perder mais pontos do que em edições anteriores”.

“O campeonato é muito longo, e é escusado estar a fazer contas de forma prematura. Ainda é muito cedo para isso. Sabemos onde queremos chegar e como havemos de lá chegar. Resta-nos trabalhar e ser mais competentes do que os nossos adversários”, remata.

Ossela e Covão do Lobo vencem na Taça de Portugal
Quanto ao desempenho dos restantes emblemas aveirenses presentes na segunda eliminatória da Taça de Portugal, destaque para as vitórias de Ossela e Covão do Lobo.

Os oliveirenses levaram de vencida o Póvoa Futsal por 6-5, numa eliminatória apenas decidida no prolongamento. Aí chegados, Igor Eduardo sobressaiu, com dois golos essenciais para o triunfo.

Quanto ao Covão do Lobo, afastou, no seu pavilhão, o Viso. 5-4 foi o resultado, construído com os golos de Marcelo Mateus, que bisou, Hugo Simões, Rafa e Ventura.

Menos felizes estiveram Sp. Silvalde e Saavedra Guedes. Os primeiros perderam na casa do Cariense (4-2), enquanto os de Pardilhó caíram no prolongamento diante do ABC Nelas (7-4).

Fotografia
Jornal Correio da Feira

23 de Novembro de 2017
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas