"Segunda parte fantástica" valeu reviravolta ao Barcouço diante do Atómicos

O Barcouço confirmou a retoma na 2.ª Divisão Distrital com um triunfo diante do até então líder, Atómicos (6-4), num jogo em que sobressaiu a capacidade de superação da equipa. Aos 44 anos, Paulo Fontes elogia a união do grupo e promete uma equipa a lutar para “ganhar todos os sábados”.

A época “não começou lá muito bem”, com três derrotas nas primeiras quatro jornadas. “Tínhamos alguma malta a iniciar o futsal este ano, e alguns não conseguiam treinar sempre, mas, com o andamento dos treinos e dos jogos, melhoramos bastante”, recorda Paulo Fontes. Isso fica bem patente nos resultados recentes, sendo que, nos últimos sete jogos, o Barcouço ganhou seis.

A última vitória foi uma prova de vida da equipa, que aplicou a primeira derrota da época ao Atómicos, que, à data, liderava a 2.ª Divisão. “Foi um jogo que ganhámos bem, pela união que a equipa teve”, refere o fixo, ele que até 'ajudou' a extremar as dificuldades. “Fui expulso a meio da primeira parte, quando ainda estava 0-0. Em superioridade numérica, o adversário fez o 1-0, e logo de seguida o segundo”. A vida estava difícil para o Barcouço, mas, “ao intervalo, fizemos acreditar a todos de que era era possível de virar o jogo”, o que veio a acontecer, fruto de “uma segunda parte fantástica” dos azuis.

A vitória abre uma fase de jogos complicada para a equipa da Mealhada, que nas próximas quatro jornadas defronta CRECUS (4.º), Gião (6.º), Travassô (1.º) e Cucujães (3.º). “Vai ser uma prova para o Barcouço”, atira Paulo Fontes, mesmo que o “plantel muito curto” não ajude nada. “Comigo castigado, mais um lesionado e outro atleta que não pode, vamos a CRECUS com poucas opções. Isso tem influência, mas os que vão têm mostrado que se pode contar com eles”, refere o fixo, que espera, no sábado, “ir ao pavilhão apoiar”. “Mas mesmo se não estiver presente, eles sabem que estou com eles”, completa.

A correr pela melhor classificação possível, Paulo Fontes avisa que se o Barcouço tiver a “possibilidade de ficar nos três primeiros, vai fazer por isso”, sem, contudo, se comprometer com a subida. “Ainda estamos numa fase muito prematura”, justifica.

Aos 44 anos, o fixo ainda não pensa na reforma. “Enquanto me quiserem inscrever e as pernas deixarem, cá estarei”, diz, divertido, ele que chegou ao futsal apenas aos 28 anos, depois de ter feito carreira no futebol como defesa e médio defensivo.

Atómicos cede liderança ao Travassô
Quem aproveitou o desaire do Atómicos foi o Travassô, que bateu o Casal pela margem mínima (1-0) e ascendeu ao primeiro lugar da tabela. A fechar o pódio está, agora, o Cucujães, que levou de vencida o CAP Alquerubim por 7-1, marcaram Gazela, Postiga, Rafael Neto, Jorge Amorim e Ferrinhos, tendo os dois primeiros bisado.

Em Gião, a equipa da casa alcançou uma importante vitória diante do CRECUS, graças ao tento solitário de Russo. Mais folgado foi o triunfo do Telhadela contra o Angeja (5-2), enquanto o Branca Activa bateu o Always Young por 7-0. Xavier Pinho completou um 'póquer', Filipe Ribeiro bisou e Puyol também marcou.

Gafanha do Carmo e Fiães empataram a um golo, enquanto o Lamas Futsal foi derrotado na casa do Clube de Albergaria, por 5-3.

Fotografia
Direitos Reservados

7 de Dezembro de 2017
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas