Raquel, uma ‘matadora’ que brilha no Campeonato Distrital

Oito golos em dois jogos. É este o registo pessoal com que Raquel abrilhanta as duas primeiras vitórias do Lusitânia de Lourosa no regresso ao Campeonato Distrital. A pivot traz boas referências, as quais tem comprovado com um excelente início de prova, e aponta a um ano positivo, que espera que culmine com o regresso ao Nacional. 

“Sou ‘matadora’, uma jogadora ambiciosa, raçuda e que quer sempre vencer”. A apresentação está feita e abre boas perspetivas, mas nem a própria Raquel esperava um início de temporada tão positivo, ainda para mais num campeonato em que tudo era desconhecido. “Tão bom, não esperava”, admite, ela que foi percebendo “a qualidade do plantel e do treinador, bem como do sistema de jogo implementado”, durante a pré-época. Entre elogios às colegas de equipa, que “trabalham muito e ajudam a que tenha sucesso, possa finalizar e seja eficaz”, Raquel não esconde que o grupo está, ainda, em fase de adaptação, mas garante uma estrutura forte, resultado de um balneário com “um bom ambiente, pessoas humildes e um grupo bom”.

Nas duas rondas inaugurais, a 'matadora' marcou três ao S. Pedro Castelões (7-0) e cinco na vitória sobre o PARC (7-2), isto num plantel novo, que “não tem rotinas de jogar junto, como acontece com várias equipas que defrontamos”, algo contornado com “humildade e trabalhado”, para, desse modo, “tentar assimilar tudo o que o treinador pede”.

“Lutamos todas pelo mesmo objetivo, remamos para o mesmo lado, e é assim que vamos conseguir formar um grupo forte”, sublinha a pivot, que, apesar das propostas recebidas de equipas do Campeonato Nacional, optou pelo Lusitânia de Lourosa “pelas condições e objetivos que foram propostos”.

O objetivo, esse, “passa por chegar o mais longe possível e, de preferência, sermos campeãs”, sempre pensando “jogo a jogo”. Acaba por ser um projeto à imagem de Raquel, que não esconde que prefere optar por desafios “com objetivos altos”, entre os quais uma boa prestação na Taça de Portugal, ainda para mais num clube que, na temporada passada, chegou à Final Four da prova.

Focada, a pivot garante pensar “mais nos objetivos coletivos do que nos pessoais”, e confia que “os golos vão surgindo naturalmente”. “Quero que a equipa ganhe. Claro que temos sempre o objetivo de nos destacarmos, mas primeiro penso na equipa e, depois, as coisas surgem com naturalidade. Preferia que fossemos campeãs a ser a melhor marcadora do campeonato, sem dúvida. Estou focada em ajudar o grupo a ter as vitórias desejadas”, encerra.

Novasemente invencível lidera Zona Norte
O Lusitânia de Lourosa segue 100% vitorioso no campeonato, mas até é segundo classificado, já que o Maceda tem uma diferença de golos superior. Aliás, a goleada da ronda é sua, com os 8-1 aplicados na casa do estreante Luso. Piolho completou um 'hattrick', Rita bisou, e Cabral, Cristiana e Flor também marcaram pelas forasteiras.

No restante desafio da segunda jornada, o S. Pedro Castelões venceu, por 6-1, o Casal, em Castelo de Paiva. Os golos do triunfo da formação de Vale de Cambra foram apontados por Joana Tavares, que bisou, Daniela Oliveira, Beatriz Fortuna, Carina Lopes e Ana Costa.

No Campeonato Nacional, o Novasemente/Cavalinho continua imparável, depois de garantir a terceira vitória noutros tantos jogos da prova, na receção ao Penaguião (5-1). Sofia Ferreira e Angélica Alves colocaram a formação de Espinho em vantagem, Joana Barbosa reduziu, mas Beatriz Vieira, Andreia Marques e Joana Moreira confirmaram o triunfo, que isola a formação orientada por Luís Almeida no topo da classificação da Zona Norte. Na próxima jornada, o Novasemente/Cavalinho desloca-se ao reduto do Santa Luzia, atual terceiro classificado.

Fotografia
Jornal N

12 de Outubro de 2017
Pedro Fernandes
[email protected]
Notícias Relacionadas
Equipas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas