No Canedo, "não havia outro caminho que não o da subida"

Está fechado o quadro de equipas que ascendem à Divisão Pro-Nacional de Aveiro, na próxima época. A última a consegui-lo foi o Canedo, que confirmou o triunfo na Série A com uma vitória caseira diante da ACRD Mosteirô (4-1). O conjunto canedense junta-se a Vista Alegre, Famalicão e Ovarense na corrida pelo título da 2.ª Divisão Distrital.

Não foi à primeira, mas não demorou muito para que os canarinhos festejassem o título de campeão de Série. “Tivemos a possibilidade de fazer a festa em Travanca, contra a Geração Rui Dolores, mas empatámos. No jogo seguinte, em casa, conseguimos alcançar a nossa meta. Vermos o nosso dever cumprido foi uma enorme alegria”, comenta Vasco Coelho, treinador do Canedo, que desde que chegou ao clube entendeu que só havia um rumo para esta época.

“Logo na primeira conversa com a estrutura diretiva, percebi que o clube tinha que subir de divisão”, até porque “a maior qualidade das infraestruturas” tinha que ter o devido retorno.

A promoção foi alicerçada em vários pilares. “A estrutura diretiva foi extremamente importante, pela forma como foi resolvendo os problemas que iam aparecendo”, explica Vasco Coelho, que elogia a forma como “os jogadores cedo perceberam qual o rumo que tínhamos que tomar”.

“O grupo percebeu que não havia outro caminho que não o da subida de divisão”, acrescenta o treinador, que reparte o sucesso com toda a equipa técnica, que “trabalhou de forma incessante para que conseguíssemos levar o barco a bom porto”.

Para lá de tudo isso, houve “uma peristência enorme” por parte de todos, importante numa disputa “palmo a palmo”. “Não deixámos o adversário isolar-se, e esta parte final foi decisiva, porque conseguimos ultrapassar os jogos que tínhamos”, completa Vasco Coelho, para quem “os adversários jogavam de maneira diferente” contra a sua equipa, “por ser a primeira classificada”.

O técnico admite que “estava focalizado, essencialmente, na subida de divisão”, mas isso não o impede de olhar para a fase em que se irá discutir o título do segundo escalão de Aveiro com otimismo. “Tenho os meus jogadores como pessoas ambiciosas, e sei que vamos trabalhar para procurar somar mais um título”, atira o treinador, que adverte para uma “margem de erro muito curta”, pois estarão em confronto “os melhores dos melhores” da 2.ª Divisão Distrital. “Vamos encarar os jogos com responsabilidade e competência”, remata.

Fotografia
Jornal Correio da Feira

17 de Abril de 2017
Rui Santos
[email protected]
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas