Estreia a vencer do Sabariz teve contornos épicos

Uma vitória histórica, a primeira de sempre nos Distritais de Aveiro, e com direito a reviravolta épica. O Sabariz, da Série A da 2.ª Divisão, surpreendeu na deslocação ao reduto do Pousadela (2-3), conquistando, à 14.ª jornada, o primeiro triunfo no campeonato, num jogo recheado de emoção e com desfecho imprevisível. Já não há equipas sem vencer na competição.

“É verdade. Vencemos pela primeira vez e da forma como foi... Conheço aquele campo de outros campeonatos e sei que é tradicionalmente difícil lá jogar. Este era um jogo muito importante para nós e o grupo estava ansioso porque sabíamos que era o tudo ou nada. Chegámos ao intervalo a perder 2-0, tivemos que abordar assuntos sérios no balneário e conseguimos uma reviravolta que fica na história do clube”, começa por dizer Carlos Jesus (na foto), treinador do Sabariz, equipa que se estreia em provas da Associação de Futebol de Aveiro na presente temporada.

O triunfo inédito teve contornos épicos. O Pousadela, nono classificado, vencia por 2-0 ao intervalo na receção ao Sabariz, último da tabela, até aí com um único ponto. Apesar do cenário adverso, os forasteiros conseguiram a remontada, com golos de Alexandre, Rui Mendes e Hélder, os dois últimos marcados já no período de descontos. “Acreditei sempre que podíamos conquistar pontos naquele jogo. Aliás, na segunda parte disse-o a quem estava comigo no banco”, garante Carlos Jesus, revelando que “a ideia passava por marcar cedo”: “Depois de ver como entrámos para a segunda parte, fiquei muito confiante. Marcámos, o adversário teve um jogador expulso, fiz alterações no “tudo por tudo” e conseguimos a reviravolta com uma vontade enorme”.

Com uma “estrutura limitada” e a precisar “de crescer”, a segunda volta do campeonato não podia ter melhor começo. “Pode ser um ponto de viragem”, acredita o técnico. “A paragem de campeonato foi positiva, também, porque permitiu-nos recuperar alguns jogadores importantes e com muita experiência. As ausências têm-nos condicionado e estes regressos podem ajudar-nos a normalizar e a conquistar bons resultados. Estou confiante que conseguiremos muitas vitórias”, acrescenta, sem esconder o alívio sentido com a conquista dos três pontos: “Foi uma lavagem da alma. O grupo estava ansioso, pressionado e a sofrer muito. É o nosso primeiro ano, não temos muita experiência, mas quis sempre mostrar-lhes que nem tudo o que fazemos é negativo”.

Curiosamente, os quatro pontos do Sabariz foram somados fora de casa, algo que se explica pelo “nervosismo” e que terá que mudar numa segunda volta que se espera exigente. “Estamos numa fase de crescimento e em casa mostramos muita ansiedade. Geralmente até entramos melhor, mas não conseguimos concretizar e acabamos por sofrer. Temos que fazer do nosso estádio uma fortaleza. A segunda volta exige-o. Vamos receber adversários diretos e temos que fazer melhores resultados. Os adeptos apoiam-nos sempre e merecem”, vinca Carlos Jesus que deixa escapar a reformulação dos objetivos a atingir: “Depois desta entrada na segunda volta, estabelecemos como meta o meio da tabela. Queremos lutar por isso. Temos equipa e condições para o garantir e acredito que o faremos. Vai ser uma segunda volta bastante difícil, mas vamos abordá-la com a mesma mentalidade. Espero que este primeiro ano seja um guia para um futuro risonho do clube”.

Mansores desaproveita folga do Canedo
Olhando para o topo da classificação da Série A, o Mansores não foi além de um empate a um golo na receção ao Argoncilhe, desaproveitando a folga do líder do Canedo para se isolar no comando. O ponto conquistado na 14.ª jornada deixa ambas as equipas igualadas na primeira posição, com 33 pontos.

Na Série B, a Ovarense goleou o Cesarense B, por 4-1, e manteve distâncias para os segundos classificados S. Vicente Pereira e Macieirense, que derrotaram o Arrifanense (3-1) e o Válega (4-1).

Quanto ao Vista Alegre, prossegue o passeio na Série C. Na 14.ª jornada, nova goleada, desta feita por 7-1, diante do Macinhatense. A grande surpresa da ronda foi protagonizada pelo Sosense, que derrotou o até aqui segundo colocado Fermentelos (1-0). Os Leões da Pateira acabaram ultrapassados por Mourisquense, Oiã e Estarreja B.

No que toca à Série D, tudo na mesma no topo da tabela. O Famalicão derrotou o CRAC, por 2-0, e continua a liderar a prova, com seis pontos de avanço sobre o Carqueijo, que derrotou o vizinho Aguinense por 5-1.

11 de Janeiro de 2017
Pedro Fernandes
[email protected]
Notícias Relacionadas
Categorias
Tags
Twitter
Facebook
Notícias Mais Lidas